Você está aqui

Jornalista Luiz Corrêa e Assistente Social Elzi,comemoram 47 anos de matrimônio e a neta Geovana completa seus 15 anos

Enviado por JornalEspirita em qua, 04/25/2018 - 16:59

“Pois tive fome e me deste de comer; tive sede e me deste de beber; era estrangeiro e me acolheste; estava nu e me vestistes; estive enfermo e me visitastes; estava na prisão e viestes a mim”.

São palavras de Jesus, registradas no capítulo 25, do Evangelho de Mateus. Ele explica que quando fazemos tudo isso a um desses irmãos, é a ele (Jesus) é que fazemos.

Este é o sentido da verdadeira caridade, a que faz com que tenhamos misericórdia para com os desvalidos, mas não fiquemos somente nisso. Antes de tudo, colocamos o amor em ação.

Como diz o item 10 do capítulo XI (Amar o próximo como a si mesmo) de O Evangelho Segundo o Espiritismo: amar, no sentido profundo do termo, é fazer aos outros o que queremos que os outros nos façam; é procurar em torno de si o sentido íntimo de todas as dores que acabrunham o semelhante para suavizá-las.

Pois que esta também é uma das conseqüências da caridade moral, que como explica Irmã Rosália (Espírito), no item 9 do capítulo XIII (Não saiba a vossa mão esquerda o que dê a vossa mão direita) do Evangelho, consiste em nos suportamo-nos uns aos outros, que é o que menos se faz, neste mundo inferior onde estamos presentemente encarnados.

É neste sentido que no capítulo 13 da I Epístola aos Coríntios, Paulo diz que se falasse as línguas dos homens e dos anjos e não tivesse caridade, seria como o metal que soa ou como o sino que tine; ainda que tivesse o dom da profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de tal maneira que transportasse os montes, e não tivesse caridade, nada seria; ainda que distribuísse toda a fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o corpo para ser queimado, e não tivesse caridade, nada disso lhe aproveitaria.

Também é seguindo estes parâmetros que em Três Lagoas (MS), a Terra da Solidariedade, um ponto luminoso se destaca. É o Grupo da Fraternidade Espírita José Grosso e Maria João de Deus, situado na Viela Francisco Cândido Xavier, Esquina com a Rua Allan Kardec, Vila Haro, que desenvolve um gigantesco trabalho em prol do Evangelho de Jesus e em torno da caridade.

São 24 anos de trabalhos ininterruptos, instruindo, ensinando, mostrando o caminho reto às criaturas – conforme as lições de Allan Kardec – e dando alimento a quem tem fome, água a quem tem sede; enfim, libertando as almas da escuridão da ignorância e suprindo com o necessário àqueles que não foram bafejados pela chamada “sorte”.

Eu mesmo já tive, várias vezes, a oportunidade de participar deste monumental trabalho, quer reportando-o para os jornais da Federação Espírita do Estado de São Paulo, quer proferindo palestras, tendo a oportunidade de dividir as honras com os irmãos: Romeu Venâncio, Maurício Cardim e França Cícero.

Tudo isso é coordenado e dirigido pelo jornalista Luiz Corrêa da Silveira Filho e sua esposa Assistente Social Elzi Terezinha Garcia Corrêa, que ainda dirigem os jornais: Correio de Três Lagoas e Jornal Espírita de Três Lagoas.

No dia 1º de maio completam 47 anos de feliz união conjugal. Desta feliz união nasceram um casal de filhos: o empresário Luis Adriano, que casou com Larissa Marin e a filha Heleyne Cristina (in-memorian). Dos frutos do amor de Luis Adriano e Larissa Marin nasceram duas netinhas maravilhosas: GeovanaHeleyne, que completa 15 anos nesta quarta-feira, dia 2 de maio e Maria Fernanda, com cinco anos. O Luizinho e Elzi, verdadeiros trabalhadores da última hora, fazemos nossas as palavras da mensagem de Erasto, no item 4 do capítulo XX (Os trabalhadores da última hora) do Evangelho: marcha, pois, avante, falange imponente pela tua fé! Diante de ti os grandes batalhões de incrédulos se dissiparão, como a bruma da manhã aos primeiros raios do Sol nascente.

 

 

Altamirando Carneiro