Você está aqui

Jornalista Luiz Corrêa realiza palestra em Murutinga do Sul (SP)

Enviado por JornalEspirita em sex, 12/01/2017 - 12:22

Na noite desta quinta-feira, 30 de Novembro, o jornalista Luiz Corrêa da Silveira Filho realizou palestra espírita na bela cidade de Murutinga do Sul (SP), o evento espírita aconteceu no Centro Espírita Santo Agostinho, localizado no centro daquela linda cidade, onde abordou o tema: “A vida e a missão de Chico Xavier.” O jornalista Luiz Corrêa da Silveira Filho, responsável pelo Grupo da Fraternidade Espírita José Grosso e Maria João de Deus e diretor dos Jornais Correio de Três Lagoas e Jornal Espírita de Três Lagoas, sempre viaja pelo Brasil, divulgando a vida de Chico Xavier.
História de Luizinho e Chico Xavier - Nas palestras, Luiz Corrêa conta que depois de sessenta dias da perda material da filha, foi aconselhado por amigos a ir, com a família, a Uberaba (MG), conhecer o médium mineiro. Chegaram numa quarta-feira e o Chico só trabalhava no sábado. Lembra que ficou de quarta-feira até sábado muito desanimado, em frente à casa de Chico Xavier. Os vizinhos, com pena da família, orientaram para ficarem ao lado do portão, pois por ali o Chico parava e atendia a todos. Foi aí que eles ficaram num empurra-empurra, pois todos também queriam ver e falar com o médium.
        Luiz Corrêa ficou ali na esperança de falar com Chico, quando no sábado, às 18h30, seu filho adotivo, Eurípedes Higino dos Reis, saiu dirigindo o carro, quando Chico sorriu para ele, mandou o filho parar e lhe perguntou porque chorava. Ele respondeu que havia perdido a filha. Chico perguntou: “Como ela se chama?” “Elaine”, respondeu Luizinho. “Sua filha se chama Heleyne – com H e com Y”, enfatizou Chico. Luiz chorou muito, pois a sua filha tinha um charme com o nome dela. Se alguém dissesse que ela se chamava Elaine, ela ficava brava e dizia: “Meu pai me registrou assim: Heleyne – com H e com y”.
        Luiz Corrêa percebeu que sua querida filha estava ali, viva; era ela mesma. O filho Adriano, na época com oito anos, gritou: “Pai, o Chico disse o nome dela certinho".... Chico chamou Luiz para ir ao Centro Espírita. Naquela madrugada, ele recebeu uma linda e esclarecedora carta de sua filha, que assinava: Heleyne Cristina, assinatura autêntica, a mesma dos documentos.
        Nas palestras, Luiz Corrêa narra toda a sua gratidão e amor ao Chico Xavier. Esclarece também sobre a cura de seu filho Adriano e outros relatos da grande amizade com o Chico, surgida pela dor da perda da filha querida, fato que desde 1987 até a sua desencarnação, em 30 de junho de 2002, fez nascer essa grande amizade entre ele e o médium. No final das palestras, Luizinho tem o hábito de distribuir fotos, jornais espíritas e DVDs sobre a vida e a missão de Chico Xavier.
        Nas comemorações dos 100 anos do Chico Xavier, com o lançamento do seu filme, o Jornalista Luiz Corrêa foi um dos quatro oradores brasileiros escolhidos para falar da vida de Chico Xavier, na cidade de Uberaba. Recentemente, o Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul o homenageou como o melhor jornalista do Estado de Mato Grosso do Sul. O Desembargador Presidente do Tribunal, Joenildo Souza Chaves, hoje aposentado, emocionado, falou da vontade que sempre teve em conhecer Francisco Cândido Xavier e fica emocionado quando Luiz Corrêa conta trecho da vida do Maior Brasileiro de Todos os Tempos.

 
       Ver fotos:

http://www.jornalespiritatl.com.br/jornalista-luiz-corr%C3%AAa-realiza-palestra-em-murutinga-do-sul-sp-0

Altamirando Carneiro