Você está aqui

Previsões de Francisco Cândido Xavier

Enviado por Redação em ter, 07/04/2017 - 14:20

Segundo Chico, Jesus teria dado um prazo de 50 anos que acabariam em 19 de Julho de 2019, para que o mundo pudesse sobreviver sem guerras e, caso houvesse a terceira guerra mundial, esta seria o estopim para que ocorresse a intervenção Divina a fim de que a guerra cessasse através de maremotos, tsunamis e vulcões. Deste modo, o Brasil se desenvolveria muito em poucos anos, tornando-se grande potência, sendo um dos principais alvos para a imigração de outros países.

Houve outra decisão dos benfeitores Espirituais da vida Maior que determinaram que após o alvorecer do ano 2000 da Era Cristã, os Espíritos empedernidos no mal e na ignorância não receberiam a permissão de reencarnar na Terra; só reencarnariam os Espíritos mais fortes e preparados através das conquistas espirituais, como a mansidão, a brandura, o amor, a paz e a fraternidade. Dentro desta programação está a reencarnação de Emmanuel no coração do Brasil.

Como podemos observar nessas predições, não há mais tempo para o materialismo, para as ilusões ou enganos imediatistas: ou seguiremos com a luz ou nos afundaremos nas sombras da nossa ignorância. São nossas escolhas que nos permitirão optar pelo caminho da fraternidade, do amor, da sabedoria e regeneração ou pelo caminho do sofrimento, da dor, tendo assim um longo período de reconstrução que poderá durar mais de mil anos.

Em relação ao futuro, o Espírito André Luís, através da psicografia de Waldo Vieira, no livro <em>Verdade e Luz</em>, ensina que: “ <em>Somos hoje o reflexo do ontem, seremos amanhã o reflexo dehoje.”</em>

Sobre o terceiro milênio, que vai do ano 2001 ao ano 3000, Chico sempre foi muito claro e coerente.

Sabemos que a evolução não dá saltos, mas não precisamos esperar até o ano 3000 para sermos melhores, aguardando e dando mais valor aos avanços tecnológicos do que ao crescimento interior. É o tempo de despertar e fazer valer as revelações trazidas pelos missionários do bem e do Amor.

Francisco Cândido Xavier foi um desses nobres trabalhadores responsável por sedimentar a realidade espiritual, mostrando-nos a necessidade da aquisição de bens espirituais sobre os bens materiais.

Exemplo de abnegação e humildade, lembramos que próximo à sua desencarnação, em 30 de junho de 2002, Chico diz ao seu mentor Emmanuel que desejaria partir para a Pátria Espiritual em um dia em que os brasileiros estivessem muito felizes. Somente um homem dotado de grande amor poderia se preocupar com a tristeza que poderia causar ao Brasil e, assim, ele desencarna no dia em que o Brasil ganhava a copa do mundo de futebol.

Podemos concluir que tudo dependerá de nossas escolhas para nosso progresso espiritual: “<em>Cada um segundo suas obras.”</em>

Sigamos, então, Jesus com Seus ensinamentos benditos pelo caminho da verdade e da vida, seguindo Seus passos, amando-nos como Ele nos amou.

Jornalista Luiz Corrêa da Silveira Filho

Redação